5 dicas para usar as OTAs ao seu favor

OTAS - dicas Gabriela OttoGabriela é articulista do Hotelier News e presidente do HSMAI Brasil

A estratégia de distribuição online, está cada vez mais complexa. E, dentro dela, uma coisa é certa: não se vive mais sem as OTAs (Online Travel Agencies). Por isso, hoje, fazer uma boa gestão de canais é uma uma tarefa complicada, levando-se em consideração o número crescente de OTAs. O SiteMinder, por exemplo, divulgou estudo no qual aponta os canais mais usados (e lucrativos) do mundo. Neste cenário, os hotéis precisam ampliar rapidamente seu conhecimento e visão estratégica.

Segundo estudo da Euromonitor, o aumento de reservas online chegou a 170% na última década. O mesmo instituto de pesquisa estima que, de um ano para cá, as vendas globais via internet cresceram 13%, fazendo as OTAs movimentarem mais de US$ 264 bilhões.

OTAs: dicas importante

Para te ajudar nessa gestão de canais, terceiros, o Hotelier News bateu um papo com Gabriela Otto. Presidente da HSMAI Brasil, a profissional é uma das grandes especialistas do assunto no país. Nessa conversa, ela passou algumas dicas de como lidar com esse cenário desafiador.

“Quando falamos de OTAs, é importante lembrar que os hotéis devem usar esses canais para atrair clientes que não conseguiriam captar de outra forma. Também vale ressaltar que os clientes que compram por esses canais são tipicamente menos leais à marca e mais sensíveis a preços e promoções. No Brasil, ainda não podemos esquecer do 'parcelamento'”, destaca Gabrieal, que é articulista do Hotelier News.

1. Use um Channel Manager para economizar tempo e aumentar a exposição

Essa ferramenta manterá a distribuição mais simples, proporcionando uma reação mais rápida às variações de demanda.

2. Faça uma gestão eficiente do seu inventário

Uma das principais fontes de atrito entre as agências online e hotéis é o controle da disponibilidade. “A última coisa que a maioria dos hoteleiros quer é dar carta branca às OTAs para preencherem seus apartamentos com uma comissão de 20%. Analisar o mercado e alocar a combinação certa de apartamentos entre seus distribuidores terá impacto direto na maximização de receita”, afirma Gabriela.

3. Monitore seu conteúdo

Mantenha as informações do hotel e habitações sempre atualizadas. “Se você não pode monitorar seu conteúdo nas OTA com frequência, evite horários, descrições e fotos que possam exigir atualizações frequentes”, aconselha. Conheça também o processo de alteração de cada canal, alguns são por meio de extranet, outros por e-mail, o que provavelmente resultará em atraso na atualização.

OTAs - dicas de gestão de canais 2Entender o funcionamento do algoritmo de cada OTA é vital

4. Conheça os algoritmos e critérios de cada OTA

Dominar os critérios do ranking e do algoritmo de cada OTA garante que seu hotel fature mais. Algumas OTAs, por exemplo, tem seus algoritmos projetados para impulsionar hotéis com maior taxa de conversão, outras, definem por popularidade, qualidade ou preço. “E por 'preço' pode-se entender diária média, diária histórica, ou até o valor que os clientes normalmente pagam pela propriedade”, ressalta a especialista. “É preciso ficar atento pois, recentemente, OTAs e metasearchs foram investigadas no Reino Unido por suspeita de realizarem práticas que ferem a lei de proteção do consumidor. A principal dúvida provinha das falta de transparência no processo de venda”, completa.

5. Evite dependência de um canal indireto específico

A gestão das OTAs requer comprometimento. Em um ambiente tão dinâmico e em constante evolução da comercialização hoteleira, não há mais espaço para gestão estática. “É preciso pensar estrategicamente, gerenciar bem o custo de distribuição e garantir parte do seu orçamento para investir em tecnologia e qualificação profissional”, finaliza Gabriela. 

(*) Crédito da capa: PhotoMIX-Company/Pixabay

(**) Crédito da foto: Vinicius Medeiros/Hotelier News

(***) Crédito da foto: geralt/Pixabay

Comentários