7 dicas para melhorar a classificação dos hotéis nas metabuscas

metabuscasClassificação afeta diretamente as receitas dos empreendimentos

Estar bem rankeado nos resultados de busca das OTAs e metabuscas é o ponto de partida para gerar bons índices dentro da hotelaria. Entretanto, as pesquisas ainda necessitam de mais atenção por parte dos gerentes de canais dos empreendimentos. Para auxiliar na classificação das buscas e, consequentemente, alavancar as vendas, a OTA Insight - plataforma de data intelligence do setor de hospedagens, listou sete dicas para melhorar os resultados nas pesquisas.

É sabido que nem sempre existe uma razão clara para que a classificação de uma propriedade seja alta ou baixa. O que é inegável é o impacto na receita: ao conversar com hoteleiros, os gerentes de mercado da Booking.com destacam que a estimativa é ded que entre 80% e 90% das reservas vão para hotéis nas duas primeiras páginas.

Os fatores que influenciam os resultados variam de OTA para OTA, mas geralmente incluem itens como: pagamento de comissão, disponibilidade geral de quartos na plataforma, paridade de taxa em comparação com outros canais e sites de metabusca e revisão de hóspedes.

A taxa de conversão é uma invariável, pois se a hospedagem é convertida com frequência, ela é mais alta. As OTAs buscam fornecer o hotel que o cliente deseja com rapidez e, as propriedades que surgem são recompensadas com posições mais favoráveis. As classificações são calibradas para evitar o monopólio de empreendimentos que já possuem taxas de conversão elevadas.

Após enumerar dicas para otimizar os canais de distribuição, a OTA Insight mostra o caminho para estar mais bem posicionado dentro das plataformas, impulsionando resultados e reservas.

Metabuscas: dicas

1. Gerencie sua reputação

Classificações e críticas são mais importantes do que nunca. Uma OTA deseja que seus clientes tenham uma experiência na propriedade que corresponda a suas expectativas. Essa é uma das razões pelas quais existe uma correlação direta entre reputação e receita: As plataformas levam os clientes a propriedades com melhor reputação.

Use todas as ferramentas de escuta disponíveis para monitorar sua reputação nas OTAs e nos canais sociais. Responda a todas as avaliações, especialmente as negativas. Tenha uma estratégia para comunicações de crise. Fora de sua propriedade física, sua reputação é seu ativo mais valioso. Hotéis respeitáveis ​​sempre colocam mais alto!

2. Solicitar comentários

O melhor gerenciamento de reputação é começar com a experiência do hóspede. Não espere apenas para gerenciar a reputação após o fato; solicite os comentários de clientes que partem. Pode ser tão simples quanto treinar a equipe da recepção para fazer a pergunta na saída. As solicitações de comentários também devem fazer parte das comunicações do hóspede sempre que apropriado e alinhadas às obrigações contratuais.

Solicitar comentários faz três coisas: 1) Mostra ao hóspede que você se importa, aumentando as chances de uma crítica positiva; 2) Mantém as resenhas atualizadas, uma vez que a atualidade é um fator-chave no ranking de resenhas; e 3) Oferece feedback em tempo real para melhorar sua operação. Todas essas três coisas são contribuições positivas para melhorar sua classificação por meio de uma melhor experiência do hóspede.

A melhor coisa que você pode fazer para ter um posicionamento sólido nos resultados de pesquisa é fornecer uma experiência estelar ao hóspede que estimule críticas positivas!

3. Mantenha os preços competitivos e racionais

Para a maioria das pesquisas, as OTAs têm um mandato claro dos usuários: priorize hotéis com as melhores tarifas para uma pesquisa específica.

Como a maioria dos usuários reconhece os preços, a taxa de compras é o núcleo da competitividade nos resultados de pesquisa OTA. As tarifas devem fazer sentido para a propriedade, suas comodidades e sua localização, respeitando os acordos contratuais.

As taxas também devem ser razoáveis, pois as OTAs classificam a loja também. Se for determinado que uma taxa não é razoável para o tipo de propriedade ou o período, esta cairá na classificação. Uma plataforma raramente recompensa uma taxa que não está alinhada com hotéis comparáveis ​​nas proximidades.

Usando uma ferramenta de inteligência de taxas, verifique se seus preços são competitivos. Observe as taxas e adote uma abordagem em tempo real para manter os preços precisos. Este é o trabalho sempre ativo de gerenciamento de receita!

4. Atualize seu conteúdo descritivo

As OTAs não desejam exibir listagens incompletas para os usuários. E se o conteúdo não for atualizado há algum tempo ou as fotos forem terríveis, a plataforma penalizará.

É tudo questão de conversão. Quanto melhor o trabalho da sua listagem na conversão, maior a probabilidade de ela ser mostrada nos resultados.

De acordo com a Expedia, as descrições de quartos e propriedades (em vez de descrições parciais) aumentam as conversões em 5% e dobrar o número de fotos pode aumentar a taxa de reserva em 4,5%.

Considere a experiência do usuário final ao fazer upload de conteúdo descritivo para seus canais. Pense em como alguém que está pesquisando hotéis verá sua propriedade e faça o ajuste necessário para colocar sua propriedade da melhor maneira possível.

Aproveite ótimas fotos e ofereça pelo menos três imagens para cada tipo de quarto em oferta. Se estiver usando um fornecedor de tecnologia para distribuir conteúdo, defina um horário todo mês para verificar se seu conteúdo está realmente sendo distribuído com êxito.

5. Monitore a paridade de taxa entre canais

Um grande impulso para reservas diretas nos últimos anos levou a um relacionamento tenso entre marcas de hotéis e OTAs.

Muitos hotéis oferecem descontos de fidelidade para reservas da brand.com. No entanto, isso pode sair pela culatra se não for monitorado adequadamente. "Atenuação" era uma prática da OTA que punia essas propriedades, pressionando-as para baixo nos resultados. Embora essa prática tenha praticamente desaparecido, ela deve ser mencionada.

Não arrisque ações punitivas dos seus canais de distribuição OTA mais importantes. Siga seus contratos e tenha uma diferenciação clara de todas as tarifas oferecidas exclusivamente no brand.com.

É menos provável que os consumidores notem alterações na ordem de classificação, retenção de logotipos ou ícones especiais ou redução (em vez de eliminação) das fotos do hotel. Além disso, os intermediários de reservas de viagens têm um histórico de projetar preconceitos para evitar a detecção, tornando particularmente plausível que as OTAs possam invocar métodos semelhantes.

6. Entenda seus dados e confie em suas ferramentas

Com dados, é qualidade sobre quantidade. Qual é a utilidade de ter muitos dados, se estiverem errados? Ao entender as fontes dos seus dados, é possível avaliar melhor sua precisão.

Embora essa dica não seja tão clara quanto as outras, mencionamos para enfatizar as armadilhas da dependência de dados para conduzir decisões. Se não souber de onde vêm os dados, as informações que obtidas deles podem estar com defeito.

Depois de entender seus dados e confiar em sua pureza, é mais provável que as informações sejam precisas e acionáveis. Essas são as ideias de inteligência de negócios que melhoram a lucratividade dos hotéis.

7. Gerencie seus canais

O gerenciamento adequado de canais ajuda os hoteleiros a enviar inventário para os canais mais lucrativos.

Quando tiver uma ideia do mix de receita entre os canais, será possível priorizar os canais que geram mais negócios. Essas informações podem ser usadas para fornecer inventário com preços competitivos para seus canais de alta conversão.

Os algoritmos OTA geralmente oferecem melhor posicionamento para listagens que são convertidas com mais frequência. Portanto, crie um ciclo virtuoso alocando mais inventário aos canais que se convertem!

(*) Crédito da foto: StockSnap/Pixabay

Comentários