Abav Expo: Hotel Nacional reabre e resgata sua essência carioca

(*) O Hotelier News conta, durante a Abav Expo 2019, com o apoio do Holiday Inn Parque Anhembi.

abav expo- hotel nacionalInaugurado em 1972, o hotel foi totalmente reformado

Um dos hotéis mais icônicos do país, o Hotel Nacional é um dos símbolos do Rio de Janeiro. Após anos fechado, o empreendimento foi reaberto ontem (25), bem a tempo do Rock in Rio. Durante a Abav Expo, Alexandre Zubaran, responsável pela administração, afirma que o objetivo é resgatar a alma carioca da propriedade projetada por ninguém menos que Oscar Niemeyer. 

Comprado pela rede Meliá, o Hotel Nacional passou a se chamar Grand Meliá Nacional Rio de Janeiro. Agora, o empreendimento retoma seu nome original, mantendo suas emblemáticas obras de arte, como a escultura Sereia, de Alfredo Ceschiatti, o candelabro de Pedro Corrêa de Araújo e o painel de Carybé, instalado no lobby e composto por 300 peças de concreto armado.

“O Nacional foi reformado pela Meliá com o olhar de Patrimônio Histórico. Reabrimos ontem após ajustes e melhorias nos grandes sistemas, um trabalho relativamente fácil e pequeno. Nosso maior desafio foi formar uma equação para adquirir esse produto e abrir rapidamente com um contexto diferente”, conta Zubaran. “O hotel agora reabre com o respeito que essa obra de arte merece, como um dos hotéis mais icônicos do Brasil”.

Com foco no público de lazer, o Nacional busca resgatar a essência carioca dos anos 70, quando foi inaugurado pela primeira vez. “Será um hotel carioca desde o cardápio, as pessoas e a programação de lazer”, complementa.

O antigo Centro de Convenções do empreendimento não foi incluído nas reformas e, futuramente, terá uma vida independente. Segundo Zubaran, a prioridade agora é focar no que agrega ao lazer. “Esse espaço já foi palco de muitos shows, eventos, grandes bailes e festivais. Entendemos que ele não pertence ao Hotel Nacional, mas sim ao Rio de Janeiro. Futuramente, ele será um negócio em si”.

Abax Expo: o hotel

O hotel conta com 33 andares que abrigam seis modelos de suítes de 33 a 90 metros quadrados com vistas para o mar e as montanhas. As tarifas diárias estão a partir de R$ 390. Na infraestrutura, os próximos passos são abrir um bar no rooftop e começar as operações do heliponto com translado para Búzios e voos panorâmicos.

Para o primeiro final de semana, o Nacional já está com 60% de ocupação. Para a alta temporada, as expectativas são enormes. “Queremos que o hotel tenha essa relação com a praia e com os pontos turísticos de São Conrado”, finaliza. 

(*) Crédito da foto: Nayara Matteis/Hotelier News

Comentários