Coronavírus: como fazer a manutenção de hotéis fechados pela pandemia

manutenção- coronavírusTricia: manutenção é importante, mas são as pessoas quem devemos nos preocupar mais

Com o crescente número de hotéis fechando as portas devido à pandemia de coronavírus no país, muitas preocupações surgiram. Além do risco de receita nula por tempo indeterminado e da situação incerta dos colaboradores, hoteleiros ainda precisam pensar na manutenção das propriedades durante o período de quarentena.

Pensando em auxiliar o trade em momentos como este, a Mapie em parceria com a Pmweb lançou recentemente uma cartilha de boas práticas de gestão de crise - agora em versão atualizada que você encontra no link. Para nos aprofundarmos mais nas questões de conservação do patrimônio e preservação da segurança do local, o Hotelier News conversou com Tricia Neves, sócia da Mapie.

“Assim como fazemos faxina em nossas casas, é preciso o mínimo de cuidado para manter o hotel vivo. Caso as manutenções não sejam feitas, corre-se o risco do prejuízo ser ainda maior se algum equipamento essencial apresentar problemas quando a crise passar e o empreendimento não puder ser reaberto”, comenta.

Manutenção: principais pontos

Cada hotel possui sua própria demanda e necessidades individuais, mas vamos abordar os pontos de maior atenção para evitar danos futuros:

(1) A&B

Como falamos em uma matéria anterior, o setor de A&B (Alimentos&Bebidas) necessita de cuidados especiais pelo fato de estarmos lidando com alimentos perecíveis e equipamentos essenciais para o funcionamento do hotel. Checar o prazo de validade dos produtos da cozinha e frigobar, recolhê-los e, caso seja necessário, doá-los para instituições, como algumas redes já fizeram

(2) Equipamentos

Equipamentos como caldeiras, ar condicionado, frigobar entre outros precisam ser ligados e testados para manutenção. A gestão precisa pontuar quais aparelhos podem ficar permanentemente desligados, desde televisões a relógios nos quartos, auxiliando também na redução dos custos fixos.

“Cada prédio tem suas particularidades, mas filtros de ar condicionados, por exemplo, são itens que dificilmente a equipe de limpeza tem tempo de higienizar. Esta pode ser a oportunidade de dar atenção”. 

(3) Piscinas

Hotéis com piscinas precisam de atenção redobrada. O risco de se tornarem focos de reprodução do mosquito da dengue é grande e necessitam estar com os níveis de cloro em dia.

(4) Jardinagem

Não é uma das prioridades, mas precisa entrar na lista. Com o hotel fechado, a jardinagem não precisa estar impecável, mas demanda cuidados. Mesmo com pouca circulação de pessoas na rua, não é saudável para a imagem do empreendimento um jardim mal aparado e dá a impressão de local abandonado.

(5) Segurança

Com o esvaziamento das cidades, o aumento nos índices de violência devem ser levados em consideração. Sem hóspedes e de portas fechadas, é recomendado que tenha sempre alguém no interior do prédio 24 horas por dia para evitar depredações e invasões. Optar pela utilização de entradas de serviço também ajuda na preservação do local. 

(6) Equipes treinadas e reduzidas

Colaboradores bem treinados divididos em equipes reduzidas devem atuar de acordo com as recomendações de distanciamento e higienização com água, sabão e álcool em gel. Tricia ainda ressalta que, um líder sempre deve fazer o acompanhamento dos processos de manutenção para instruir e dar apoio.

“O patrimônio é importante, mas são as pessoas com quem devemos nos preocupar mais. Conversar, manter o diálogo, cuidar são pontos importantes. Os hoteleiros precisam lidar com colaboradores muitas vezes de educação formal baixa e é o seu papel informar e discutir boas práticas”.

(*) Crédito da capa: Shutterstock

(**) Crédito da foto: Divulgação/Mapie

Comentários