Hotelaria pernambucana quase atinge lotação no Carnaval

pernambuco- carnavalEstado recebeu cerca de 2 milhões de turistas no feriado

Um dos destinos mais tradicionais para curtir a folia, Pernambuco (PE) atingiu taxas de ocupações elevadas durante o feriado, quase atingindo sua capacidade máxima. A cadeia hoteleira chegou na casa dos 95,38%, resultado pouco abaixo dos 95,67% esperados e acima dos 95% registrados em 2019. Os números foram levantados pelo Setor de Estudos e Pesquisas da Empetur, que ouviu 204 meios de hospedagem até a Quarta-Feira de Cinzas (26). 

“O período carnavalesco é um atrativo tanto para o turista interno quanto para os que vêm de fora do estado. A representatividade de Pernambuco nessa festa popular movimenta toda a cadeia do turismo, faz aumentar o número de voos para a capital e aquece fortemente a economia do Estado”, ressalta Rodrigo Novaes, secretário de Turismo e Lazer.

Segundo levantamento estimado pela Setur-PE (Secretaria de Turismo de Pernambuco), cerca de dois milhões de turistas curtiram o Carnaval no estado, movimentando R$ 2 bilhões na economia local. No total, 62 palcos distribuídos em 14 municípios fizeram a diversão dos foliões.

PE: principais destinos

Entre os municípios com maiores índices médios de ocupação, o destaque deste ano entre as cidades do Agreste vai para Bonito (100%), Gravatá (99,29%) e Surubim (98,50%).  Bezerros (96,67%) - tradicional polo carnavalesco pela cultura dos papangus - e Pesqueira (95%) - a terra dos caiporas - também se destacaram com excelentes índices.

Principais polos do Carnaval na Região Metropolitana,  Recife e Olinda registraram respectivamente 98,56% e 99%, aproximando da mesma taxa de ocupação da cidade de Jaboatão dos Guararapes (100%), também na RMR, e de Triunfo (100%), no Sertão do Pajeú, destino que tem a alegria da festa traduzida pela presença dos caretas. Oferecendo outro tipo de divertimento para os dias de Carnaval, Fernando de Noronha alcançou média de 99,24% de ocupação, enquanto Porto de Galinhas registrou 95,55%.

A pesquisa da Empetur também levou em conta dados acerca da permanência dos turistas em solo pernambucano. A média geral indica uma taxa de 3,7 dias, com picos em cidades como o Recife (4,3 dias), Fernando de Noronha (4,8), Tamandaré (4,2) e Olinda (5,1).

(*) Crédito das fotos: Divulgação/Setur-PE

Comentários