Iata prevê alta no lucro líquido da aviação comercial em 2020

IATA - projeções 2020_capaMovimentação intensa nos aeroportos: receita do setor sobe em 2020

A Iata (Associação Internacional de Transporte Aéreo, na sigla em inglês) divulgou projeções para a aviação comercial em 2020. A expectativa da entidade é que as aéreas globais totalizem lucro líquido de US$ 29,3 bilhões. Se confirmado, o montante é 13,1% superior aos US$ 25,9 bilhões esperados para 2019. Será ainda o 11º ano consecutivo do setor fora do vermelho.

O estudo da Iata trouxe ainda outras previsões. A margem de lucro líquido tende a crescer 3,4%, acima da alta de 3,1% prevista para 2019. Já o número de passageiros deve atingir 4,72 bilhões, acréscimo de 4% em relação aos 4,54 bilhões estimados para 2019. Já a receita total do setor somará US$ 838 bilhões, valor que, se alcançado, representará expansão de 4% frente a 2019. Em contrapartida, a previsão é que os custos operacionais aumentem 3,5%, totalizando US$ 823 bilhões.

“Crescimento econômico mais lento, guerras comerciais, tensões geopolíticas e agitação social, além do Brexit, tudo isso criou um ambiente de negócios mais difícil do que o previsto. Mas o setor conseguiu fechar a década fora do vermelho, pois a reestruturação e o corte de custos continuaram a dar resultados”, pondera Alexandre de Juniac, CEO da Iata. “A expectativa é que 2019 feche o atual ciclo econômico, com resultados melhores em 2020. A grande questão é como a capacidade evoluirá quando as aeronaves 737 MAX retomarem às operações, e as entregas retardadas chegarem", completa Juniac, referindo-se ao avião da Boeing, que teve problemas em 2019.

Iata - Alexandre de Juniac_internaJuniac: retorno às operações do modelo 737 MAX gera expectativa 

Iata: mais projeções

Alguns fatores servem de impulsionadores do desempenho em 2020, aponta a entidade. Previsão de crescimento econômico mundial, queda no preço do combustível, aumento da força de trabalho, crescimento no transporte de passageiros e de carga são os principais.

No âmbito regional, o cenário apresenta variedade, tanto em 2019, quanto em 2020. África, Oriente Médio e América Latina têm previsões negativas para o ano recém-acabado, mas a aposta é de melhoria este ano para o mercado latino-americano. Um crescimento mais forte deve ocorrer no Brasil e no México, com quedas menos acentuadas na Argentina e Venezuela. Por aqui, segundo a Abear (Associação Brasileira das Empresas Aéreas), o volme de passageiros transportados deve superar 100 milhões em 2019

Já as companhias aéreas da América do Norte devem continuar protagonistas em termos de desempenho financeiro. Segundo a Iata, a região deve representar 65% dos lucros do setor em 2019 e 56% em 2020.

(*) Crédito da capa: gunthersimmermacher/Pixabay

(**) Crédito da foto: bilaleldaou/Pixabay

Comentários