InFOHB: RevPar cresce 11% até agosto

O InFOHB, informativo mensal da FOHB (Fórum dos Operadores Hoteleiros do Brasil), mostra que o RevPar cresceu 11% entre janeiro e agosto deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado. Já a diária média subiu 4,4% e a ocupação média cresceu 6,3%. Essa alta se deve, de acordo com o documento, às variações positivas ocorridas em todas as regiões do país. Esse aumento segue o verificado no primeiro semestre, quando houve elevação de 12,8% no RevPar. A análise levou em conta amostra de 515 hotéis, responsável pela oferta de 81.491 unidades habitacionais.

Entre as capitais do país, a performance do RevPar demonstra alta em 13 das principais cidades, sendo as maiores delas em Belo Horizonte (25,6%) e Vitória (24,4%). Fortaleza, no Ceará, foi o único que teve redução, com variação negativa de 4,4%. São Paulo e Rio de Janeiro tiveram, respectivamente, avanço de 15,1% e de 16,5% no indicador. 

Com relação à diária média, os resultados mais expressivos foram em Belo Horizonte (18,4%) e em São Paulo (12,4%). Campinas e Rio de Janeiro tiveram, respectivamente, queda de 0,3% e de 1,1%, sendo as principais praças que registraram recuo nesse índice.

Na análise por região, o Sudeste registrou o maior crescimento de RevPar, com elevação de 14,4%. Foi seguido pelo Norte, com 7,7%; Sul, com 6,8%; Centro-Oeste, com 6,5%; e Nordeste, com 3,9%. 

InFOHB: RevPar com alta de 5,5% e diária média com 3,8%

Na divisão da diária média por região, houve elevação entre 2,1% e 7,5%, que representam os dados do Centro-Oeste e do Sudeste, respectivamente. Já a taxa de ocupação por região demonstrou acréscimos em três regiões: Sudeste, com 6,3%; Centro-Oeste, com 4,3%; e Sul, com 1,9%. O Norte e o Nordeste registraram elevações timidas, ficando quase estáveis, com 0,5% e 0,3%, respectivamente.

Nas categorias hoteleiras, o RevPar da econômica foi o que mais avançou no acumulado do ano, com variação positiva de 11,5%. O segmento midscale, teve aumento de 11,2%, enquanto o upscale avançou 9,3%. Com relação à diária média, a tendência seguiu a lógica do indicador anterior, tendo o econômico com elevação de 6,6%, midscale com 6,5% e upscale com 5,1%. A taxa de ocupação registrou incremento de 4,6% no econômico, de 4,5% no midscale e de 4,0%, no upscale. 

InFOHB: RevPar e diária média

Em agosto, o RevPar nacional indicou alta de 5,5%, ao passo que a diária média cresceu 3,8%, frente igual mês de 2018. Já a taxa de ocupação na média nacional avançou 1,8%. Entre os principais municípios, o RevPar registrou decréscimo de 0,2% no Rio de Janeiro e de 11,2% em Fortaleza. Já nas variações positivas, as mais expressivas foram em Florianópolis (+22,3%), Vitória (+18,9%) e Salvador (+17,5%). 

InFOHB: RevPar com alta de 5,5% e diária média com 3,8%

Na diária média, a queda mais significativa foi no Rio de Janeiro (-10,9%) e em Belém (-4%). Já as maiores altas ocorreram em Florianópolis (+15,6%), São Paulo (+10,3%) e em Curitiba (+9,4%). 

Em relação às taxa de ocupação, 10 municípios tiveram acréscimos, que variaram entre 0,2% (Recife) e 12% (Rio de Janeiro). Já os desempenhos negativos oscilaram entre 1,4% (Belo Horizonte e São Paulo) e 8,8% (Fortaleza).

Por região do país, o RevPar teve aumento mais significativo no Sudeste (6,2%) e no Centro-Oeste (6,4%). No Sul foi registrada alta de 4,8%, enquanto que no Norte subiu 3% e, no Nordeste, 2,3%. 

O Nordeste, aliás, foi o único que apresentou decréscimo na diária média de agosto, embora ligeira, com queda de 0,4%. O Sul teve o avanço mais expressivo, com 5,6%, seguido de Centro-Oeste (+4,7%), Sudeste (+3,9%) e Norte (+2,6%). 

Com relação à taxa de ocupação, o Sul foi o único que caiu, com 0,8%. No Sudeste e no Nordeste, ocorreram avanços de 2,2% e de 2,7%; No Centro-Oeste, houve variação positiva de 1,7% e no Norte, de 0,4%.

Entre os segmentos, o econômico registrou o mais expressivo avanço do RevPar, com alta de 8,2%, seguido de midscale, com 7,3%, e upscale, com 0,5%. Na diária média, há uma inversão: o midscale teve o maior resultado, com elevação de 6,1%, seguido de econômico, com 5%, e upscale, com 1,2%. Com relação à taxa de ocupação, o upscale caiu 0,8% no mês, enquanto o econômico registrou aumento de 3,1% e midscale, 1,2%. 

(*) Crédito da foto de capa: Free-photos/Pixabay

(**) Crédito dos infográficos: FOHB

Comentários