Ittoqqortoormiit: uma viagem extrema e inusitada ao Ártico

Ittoqqortoormiit - GuestHouse Único hotel da cidade, o Guesthouse tem apenas sete quartos

O que te vem à cabeça quando pensa em férias inusitadas? Aposto que uma semana numa cidade isolada no Ártico, andando de trenó e explorando glaciares, não foi uma opção, certo? Pois bem, é exatamente isso que a diminuta vila de Ittoqqortoormiit, na Groenlândia, pode oferecer. Com apenas 450 habitantes, o vilarejo no meio da neve tem apenas um único hotel.

Administrado pela Nanu Travel, o pequeno empreendimento tem apenas sete quartos, sendo cinco singles e dois doubles. Localizado na região do sistema de fiordes Scoresby Sund, o prédio do hotel foi construído em 1976 e funciona como alojamento desde 1988. Sim, na real, é até melhor chamá-lo assim, pois a graça é mesmo usá-lo apenas para dormir. 

Isso porque, apesar de ser muito longe e ter um frio opressor, Ittoqqortoormiit tem boas atrações turísticas. A própria Nanu Travel oferece vários passeios, a maioria com trenós puxados por huskies siberianos, conduzidos pelos mushers (condutor) locais. Caçar aurora boreal ou observar a vida selvagem do Ártico estão entre as opções. 
 
No Guesthouse, as diárias variam de 500 coroas dinamarquesas (single) a 700 coroas dinamarquesas (dupla), o que corresponde a R$ 289 e R$ 404, no câmbio atual, respectivamente. Reservas podem ser feitas pelo site da Nanu Travel ou agências de viagens. 

Nanu travel guesthouseTrenó é o meio de transporte principal para andar no Ártico 

Ittoqqortoormiit e o Ártico

A região de Scoresby Sund é uma das mais remotas do Ártico, o que gera uma pergunta: Porque viajar até lá? Mette Pike Barselajsen, gerente geral do Guesthouse, afirma que quem vai ao destino busca uma aventura. “Quem nos procura está atrás de esportes na neve e exploração de áreas inóspitas. Uma viagem extrema”, conta Barselajsen, em entrevista ao Hotelier News. "Basicamente, recebemos turistas do mundo todo. Como são poucos apartamentos, vivemos constantemente lotados, co fila de espera", explica. 

E, veja bem, estamos realmente falando de uma viagem extrema. Para um brasileiro chegar a Ittoqqortoormiit é preciso estar realmente determinado. Do Brasil é necessário ir até Reykjavík, capital da Islândia, e de lá para Akureyri. Calma que não acabou: da pequena cidade no norte do país viking é preciso viajar até Constable Point, enfim na Groelândia, e pegar um helicóptero até a Guesthouse. Isso, claro, durante o inverno. No verão, é possível chegar por mar, com cruzeiros e barcos à vela.  

Uma vez lá, os visitantes procuram passeios em trenós puxados por cães e visitas ao maior e mais profundo sistema de fiorde do mundo. A montanha mais alta do Ártico também está dentro das fronteiras de Ittoqqortoormiit. Ainda na lista de tours de maiores do mundo, o Parque Nacional de North-East Greenland, com 972 mil quilômetros quadrados, está a um trenó de distância do alojamento.

A vila fica na região costeira da ilha, o que significa que, durante o curto verão, a camada de gelo derrete, mudando completamente a paisagem. Ainda assim, as temperaturas se assemelham ao extremo norte, chegando aos -20°C durante o inverno e subindo para o máximo de 10°C no verão. Tempestades de neve, ventos e geadas fazem com que a sensação térmica seja ainda mais baixa. 

Passar um pouco de frio, contudo, pode compensar. Por ficar tão ao norte do mundo, as chances dos visitantes conseguirem observar as Luzes do Norte, também conhecidas como aurora boreal, são extremamente altas.

Ittoqqortoormiit - aurora borealCeú de Ittoqqortoormiit proporciona imagens inesquecíveis

(*) Crédito das fotos: Divulgação/Visit Greenland

Comentários