Lummertz sobre cassinos em resorts: ‘estes tipos de investimentos que precisamos‘

cassinos- lummertzSecretário discursou durante o BgC (Brazilian Gaming Congress 2019)

Na manhã de hoje (25), Vinicius Lummertz, secretário de Turismo de São Paulo, marcou presença no BgC (Brazilian Gaming Congress 2019), na capital paulista. O evento reuniu autoridades, investidores, especialistas financeiros, operadores entre outros profissionais para debater a abertura de cassinos integrados em resorts em solo brasileiro, entre outras temáticas.

Lummertz foi categórico ao sair em defesa do turismo de jogos. “São Paulo precisa cada vez mais de eventos, congressos, entretenimentos, shows, lazer e mais ações para fomentar a cadeia produtiva do turismo. São exatamente estes tipos de investimentos que precisamos”, afirma. “Os cassinos em resorts, por exemplo, gerariam milhares de postos legais de trabalho e direitos trabalhistas assegurado”, complementa.

Cassinos: turismo de jogos

Existem cerca de dois milhões de jogadores que viajam pelo mundo para apostar. Apenas no Brasil, esse número chega a 220 mil. “E o nosso país é o único da América do Sul que não tem cassino. Quando houver a devida regulamentação da abertura dos cassinos, já há uma expectativa de investimentos da ordem de mais de 50 bilhões de reais em todo Brasil e geração de 190 mil empregos”, ressaltou o secretário.

Lummertz ainda destacou a importância dos parques naturais unidos aos cassinos, que poderiam gerar um diferencial para o Brasil. “Sempre respeitando a natureza, poderiam envolver este tipo de hospitalidade, uma vez que cassinos em resorts há no mundo todo, sempre com ganho para a sociedade aliado ao desenvolvimento. Este cenário colocaria o Brasil no mapa dos grandes eventos”, concluiu.

Marcelo Costa, secretário executivo de Turismo, também presente no evento, confirmou a fala de Lummertz salientando que “temos um ambiente propício ao funcionamento dos cassinos nos resorts com incontáveis vantagens e avanço das atividades turísticas com nítido progresso socioeconômico para São Paulo e para o Brasil”. 

(*) Crédito da foto: Divulgação/Governo de São Paulo

Comentários