Marriott planeja abrir 40 unidades na África até 2023

marriott- africaPipeline deve gerar investimento de US$ 2 bilhões

Durante o AHIF (Africa Hotel Investment Forum), em Addis, na Etiópia, a Marriott International reforçou sua atuação no continente. A rede anunciou que pretende abrir 40 unidades na região - cerca de mais de 8 mil quartos - até o final de 2023. A empresa anunciou sua primeira propriedade em Cabo Verde, além de expandir sua presença na Etiópia, Quênia e Nigéria. Estima-se que o pipeline da cadeia gere investimento de mais de US$ 2 bilhões e abra 12 mil novos empregos.

O portfólio atual da Marriott na África hoje conta com 140 hotéis, 24 mil quartos, 14 marcas e 20 países."A África é uma terra de oportunidades com potencial inexplorado e continua sendo o núcleo da nossa estratégia", disse Alex Kyriakidis, presidente e diretor administrativo do Oriente Médio e África. "O crescimento econômico que a região está testemunhando, juntamente com a ênfase substancial que os países do continente estão colocando no setor de viagens e turismo, nos apresentam imensas oportunidades de crescimento”.

A expansão da rede é impulsionada por uma forte demanda e crescimento constante de suas marcas premium e serviços, com oito aberturas previstas para hotéis Marriott e outros seis nos Protea Hotels by Marriott. A empresa ainda deve introduzir na região as bandeiras Courtyard by Marriott, Residence Inn by Marriott e Element Hotels.

A Marriott também continua vendo oportunidades de crescimento para suas marcas de luxo e espera dobrar seu portfólio de luxo na África até o final de 2023, com mais de dez novas aberturas nas marcas The Ritz-Carlton, St. Regis, Luxury Collection e JW Marriott. A empresa também espera lançar o W Hotels na África com a abertura do W Tangier em Marrocos até 2023.

Os principais mercados que alimentam o crescimento do Marriott na África incluem Marrocos, África do Sul, Argélia e Egito. “A presença estabelecida e a experiência local da Marriott na África, juntamente com nossas diversas marcas e a força coletiva de nossa plataforma global, nos colocam em uma ótima posição para melhorar ainda mais nossa presença na região em que os proprietários procuram desenvolver acomodações de alta qualidade com marcas que podem diferenciar e elevar seus produtos ”, comentou Jerome Briet, diretor de desenvolvimento do Oriente Médio e África.

Marriott: outros mercados

A cadeia também segue em expansão no mercado de luxo da Ásia-Pacífico. Até o final deste ano, serão 13 aberturas na região, que conta com 130 unidades em 10 países. Serão cinco JW Marriott, quatro The Ritz Carlton, três The Luxury Collection e um St. Regis.

A Marriott também detém o maior pipeline dos Estados Unidos, com 1,4 mil projetos  e 193,4 mil quartos. Os números representam crescimento de 9% frente ao segundo trimestre de 2018. Além disso, recentemente a rede firmou parceria de distribuição com o Expedia Group, no qual a OTA se torna distribuidor exclusivo da marca, mudando completamente a forma que o grupo vende suas tarifas e disponibilidade de hotéis.

(*) Crédito da foto: Divulgação/Marriott International

Comentários