Paraty (RJ): o charme da cidade com ares de vila colonial

"Skyline" de Paraty (foto: pt.wikipedia.org/Mario Roberto Duran Ortiz) "Skyline" de Paraty (foto: pt.wikipedia.org/Mario Roberto Duran Ortiz)

Foi em meados do século 16 que a história de Paraty começou a se desenhar. À época, as praias do município davam acesso à região do vale do Parnaíba, e o povo português que imperava até então. Em 1660, após rebeliões da população, o povoado foi emancipado politicamente, ganhando o nome de Vila de Nossa Senhora dos Remédios de Paraty – ainda hoje presente numa das igrejas da cidade. Anos depois foi marcada pela descoberta do ouro em Minas Gerais, quando servia de rota para o transporte da mercadoria. Daí o conhecimento do Caminho do Ouro. O século 17 também fora marcado pelo cultivo de cana e produção de aguardente – o que é tradição no município ainda hoje. O ciclo do café também passou por lá e, ao longo do século 20, a cidade viveu períodos tortuosos por conta do fim desta economia. O longo processo de estagnação vivido por Paraty nessa época manteve, paradoxalmente, o casario colonial, conservado no conjunto conhecido como centro histórico, tornando a cidade um dos destinos turísticos mais procurados do País. As edificações encontradas hoje na região central são construções simples, a maior parte delas térreas, feitas de pau-a-pique e com pouca preocupação estética. As vergas (peça de pedra ou madeira instalada horizontalmente sobre a ombreira ou batente) são de linhas retas. Os sobrados eram muitas vezes feitos sobre casas térreas já existentes, motivo pelo qual se percebe em alguns deles misturas de estilos, como por exemplo portas com vergas retas no piso térreo e, do contrário, janelas com vergas curvas no piso superior. É este o maior patrimônio que o município conservou. Andar a pé pelas ruelas tortuosas de Paraty e deslumbrar-se com as edificações coloniais é tarefa primeira para qualquer visitante. Isto, por si só, fez o turismo crescer na cidade. Os eventos que lá se realizam anualmente, como o Festival da Cachaça e a famosa Flip, Festa Literária Internacional de Paraty, fazem valer a afirmação. Outra coisa interessante em Paraty é a permanência de alguns membros da família imperial brasileira na cidade, como o príncipe Dom João Henrique de Orléans e Bragança, proprietário de um hotel na cidade. Sim, existem também as muitas praias e o agradável cais, onde é possível ver personificada a vida dos pescadores do município. Vale a visita. Clique na galeria abaixo para conferir imagens da cidade.  Serviço www.pmparaty.rj.gov.br  

Comentários