PMI de serviços cai em agosto, mas ainda indica expansão do setor

pmi serviçosIndicador aponta consolidação do crescimento econômico

O índice IHS Markit para o setor de serviços do Brasil caiu para 51,4 em agosto de 52,2 em julho. Apesar da queda, essa é segunda leitura consecutiva acima de 50. Isso indica uma consolidação do crescimento econômico mais amplo no terceiro trimestre do ano.

Também nesta semana, dados do IHS Markit mostraram que o setor manufatureiro brasileiro cresceu em ritmo mais rápido desde março. Com isso, o PMI composto do Brasil subiu para 51,9 em agosto, também o mais alto desde março.

As novas encomendas empresariais aumentaram pelo segundo mês consecutivo. Mas novos pedidos do exterior caíram pelo sexto mês seguido, informou o IHS Markit. Desde março de 2015, os novos pedidos de exportação aumentaram apenas duas vezes.

Mas o elo mais fraco do setor do Brasil continua sendo o emprego. Subindo para 50,5, o subíndice de emprego em serviços quebrou uma série de cinco meses abaixo de 50. Mesmo assim, reflete ritmo extremamente lento de contratação.

O indicador só ficou acima de 50 três vezes desde que o Brasil saiu da recessão de 2015-16. A última vez que a marca foi superada em agosto foi em fevereiro de 2015.

Serviços: PIB

A economia do Brasil cresceu 0,4% no segundo trimestre na comparação com o primeiro. Forte recuperação levando em consideração a contração do início do ano. Em relação ao segundo trimestre de 2018, o PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro subiu 1%. Os dados do PMI referentes aos dois primeiros meses do terceiro trimestre apontam um crescimento contínuo.

(*) Crédito da foto: Vlad Vasnetsov/Pixabay 

Comentários