Portugal garante condições de viagens aos britânicos mesmo após Brexit

portugal brelcomeCampanha custará € 200 mil e circulará até junho desse ano

Apesar da indefinição sobre o futuro do Reino Unido na UE (União Europeia), Portugal lançou campanha voltada ao mercado britânico. No cerne da iniciativa está a garantia de manutenção das condições de viagem para os visitantes da Terra da Rainha, mesmo se o Brexit se confirmar integralmente. Isenção de vistos e reconhecimento das carteiras de motoristas são alguns dos benefícios preservados.

A ação integra o plano de contingência do país para manter em expansão a chegada de turistas ingleses. A campanha é batizada de #BRELCOME – Portugal will never leave you (Portugal nunca deixará você em tradução livre). Outras medidas que serão mantidas são criação de corredores dedicados nos aeroportos e utilização dos seguros de saúde. A iniciativa também inclui linha de atendimento online dedicada e uma área informativa específica no portal VisitPortugal.

“Portugal está a mostrar ao Reino Unido que, com Brexit ou sem Brexit, criamos todas as condições para continuar a acolher da mesma forma”, afirma Ana Mendes Godinho, secretária de Estado do Turismo. “As medidas aprovadas pelo governo português foram muito bem recebidas pelos operadores turísticos e pelos britânicos, que são o nosso principal mercado emissor. Já com reflexo nos números turísticos de janeiro, em que o mercado britânico cresceu 4,3%”, acrescenta.

Com investimento de € 200 mil, a campanha portuguesa circulará até junho. “Apesar de todas as incertezas, queremos deixar claro que Portugal é um país inclusivo e que todos são bem-vindos. Continuamos a apostar no Reino Unido enquanto mercado estratégico para o turismo nacional. Nunca é demais reforçar a afinidade que une os dos países e as nossas culturas”, acrescenta Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal.

Portugal e Brexit

O Reino Unido tem até 12 de abril para informar o Conselho Europeu sobre seus planos para deixar o bloco. A data foi acertada quando a UE concordou em adiar a saída, marcada inicialmente para 29 de março. O impasse permanece porque, para muitos especialistas, a separação será, sob diversos aspectos, impactante para as ilhas britânicas. Desde o referendum de 2016, que determinou a separação, o parlamento ainda não decidiu os próximos passos.

A última votação no Parlamento britânico, realizada na quarta-feira (27), foi uma tremenda derrota política para a primeira-ministra Theresa May. Na ocasião, os parlamentares rejeitaram todas as oito propostas apresentadas. Hoje (1), o Parlamento anunciou novo escrutínio, dessa vez com quatro propostas: União aduaneira; Mercado comum e união aduaneira; Referendo confirmatório; Moção de supremacia parlamentar.

(*) Crédito da capa: Everaldo Coelho/ Unsplash

(*) Crédito da imagem: divulgação/ VisitPortugal

Comentários