Produção e distribuição de alimentos por meio de CPDA é tema no FHAN

De Olinda, Pernambuco* 

FHAN - Rodolfo Vieira_AvivaVieira: tamanho do hotel não é impeditivo para instalação de CPDA

Logo após a abertura da programação do FHAN (Fórum de Hospedagem e Alimentação do Nordeste), Rodolfo Vieira subiu ao palco. Gerente de A&B (Alimentos & Bebidas) da Aviva, o executivo falou sobre sua experiência de quase 20 anos no setor e o desafio de gerir o departamento de A&B do grupo, que administra dois mega resorts no país. Uma das atrações da HNF, iniciada hoje (6), o evento prossegue até sexta-feira (8).  

Com a expansão dos negócios do Rio Quente Resorts, Vieira conta que, em meados de 2012, surgiu a necessidade de ter uma Central de Produção própria de Alimentos (CPDA). Segundo ele, vários fatores foram analisados antes de efetivamente criar a central. “Custos na produção conforme demanda para consumo e necessidade imediatos, dificuldade na requisição e aquisição de produtos, riscos de contaminação e desperdício de alimentos, riscos de insalubridade... tudo isso foi avaliado antes de optar pelo CPDA”, explica.

FHAN: queda dos custos é motivação 

Além do aspecto sustentável da conservação do ambiente, o executivo elencou alguns pontos que justificavam a decisão. Entre eles, redução de 20% de perda no processo de cocção; queda no consumo de óleo em torno de 70%; diminuição do gasto com manutenção. “Outras vantagens foram a eliminação do aluguel de containers em alta temporada e a redução de sobras de bufê, em torno de 12%”, revela Vieira. Rodolfo revela ainda um segredo na gestão implementada na Aviva. “A alta produtividade e o foco na execução dos pratos servidos é como o olho do dono”, declara.

Atualmente o grupo possui capacidade para produção de 8 toneladas de alimentos, com expectativa de ampliar para 14 toneladas na segunda parte de implantação do projeto. O baixo número de leitos em hotéis de menor porte, no entanto, não deve ser considerado impedimento, segundo o palestrante. “A partir de 150 apartamentos, a CPDA já pode ser considerada um bom investimento, considerando a redução considerável do desperdício ao longo do tempo”, garante.

(*) A reportagem do Hotelier News viaja a Olinda a convite da HFN

(**) Matéria de Marília Gilka, em colaboração ao Hotelier News

(***) Crédito da foto: Peter Kutuchian

Comentários