Protestos derrubam ocupação hoteleira no Chile, diz STR

Protestos derrubam ocupação hoteleira no Chile, diz STRDesempenho da capital, Santiago, provocou redução no país

Os protestos registrados no Chile derrubaram a ocupação hoteleira do país em outubro. Relatório da STR mostrou que a queda foi de 10,5% no mês, chegando a 58,8%, considerado o nível mais baixo dos países pesquisados. 

O pior dia para a hotelaria chilena foi em 24 de outubro, quando foi registrada uma retração de 50,8% com relação ao mesmo dia do ano passando, ficando em 30,3%. A STR mostrou que o resultado foi ocasionado pricipalmente pelo desempenho de Santiago. Na capital, no dia 24 de outubro, a redução foi de 45,7%, caindo para 31,4% no fim do mês.

STR: Chile já vinha enfrentando dificuldades

Patrícia Boo, diretora de área da STR para a América Central e para a América do Sul, contou que a capital chilena já vinha em um ano difícil por conta da quantidade apenas razoável de novos quartos e menos demanda de turistas da Argentina. "Com a instabilidade, a situação ficou ainda mais difícil", completou ela. Pesquisa anterior da STR mostrou que o pipeline das américas do Sul e Central havia registrado uma redução.

"Entretanto, felizmente até agora, os hoteleiros conseguiram manter as tarifas estáveis para diminuir o impacto na receita", disse a diretora.

Embora o desempenho tenha caído na maior parte do país, o submercado definido pelo STR na região que compreendo o entorno do Aeroporto Internacional de Santiago arredores registrou aumento. A ocupaçao subiu de 40,4%, no ano passado, a 72,1% no fim de outubro. Boo atribui esse crescimento à distância da área dos protestos principais, além de interrupções nos voos, forçando os viajantes a procurar acomodações noturnas.

(*) Crédito da foto: Luis Eduardo Bastias/Pixabay 

Comentários