Repensar Macaé apresenta ações para o desenvolvimento econômico e social do destino

Vista parcial de Macaé 

Com objetivo de apresentar o resultado da 1ª Edição do Repensar Macaé para a população macaense, acontece nesta quarta-feira (20) às 19h, no Royal Macaé Palace, o encontro com autoridades públicas, empresários, formadores de opinião e moradores do destino fluminense.

Esta fase do projeto irá mostrar os pontos que foram discutidos nas primeiras etapas e que vão alavancar o desenvolvimento financeiro e social de Macaé e toda a região. De acordo com os organizadores o ponto principal do projeto é diversificar as atividades econômicas na cidade, para que Macaé não seja mais refém do setor de petroleiro.

Ao todo serão mantidos dez segmentos, sendo eles: Turismo; Infraestrutura; Atração de Investimento; Educação e Esporte; Gestão Pública; Transporte e Mobilidade Urbana; Tecnologia; Sustentabilidade; Segurança Pública e Agronegócios. Em cada um destes tópicos há ações segregadas que precisam ser desenvolvidas, seja pelo setor privado ou público.

Os responsáveis por cada proposta já estão pré-definidos e deverão executar ou cobrar do setor direcionado. Ainda segundo os organizadores este primeiro ciclo, permite um plano de ação para a cidade e os trabalhos acontecerão em parceria com os governos municipal, estadual e federal, visando a retomada do crescimento.

Repensar Macaé: uma nova fase

O seguimento que mais recebeu sugestões para ser desenvolvido foi o turismo, que de acordo com os organizadores, mostra que a vocação turística de Macaé deve cada vez mais ser fortalecida, para que esta indústria fomente toda a rede empresarial e gere empregos para a população.

Para participar basta encaminhar um e-mail para repensarmacae@gmail.com e fazer a inscrição. O evento é gratuito, mas as vagas são limitadas.

O Repensar Macaé foi lançado no final de março deste ano e é organizado pela união das instituições: Associação Comercial e Industrial de Macaé (ACIM), Conselho Municipal da FIRJAN, Macaé Convention & Visitors Bureau, RedePetro-BC, International  Association of Driling Contractors (IADC), SEBRAE, Associação Macaense de Contabilistas (AMACON) e Society of Petroleum Engineers (SPE).

(*) Crédito da foto: SECOM/Jurandir Badaró

Comentários