STR: RevPar global segue impulsionado pela ocupação

str- revparDiária média das grandes metrópoles sofreu queda entre 2014 e 2018

A hotelaria mundial vem apresentando um padrão comum nos últimos anos. Quase todas as regiões registraram incremento na demanda, com exceção das América Central. O indicador, por sinal, vem puxando o RevPar global, umas vez que a diária média das grandes metrópoles vem consistentemente caindo desde 2014. Entre as cidades pesquisadas, apenas Miami e Barcelona alcançaram resultados positivos no período. Os números integram a apresentação feita por Patrícia Boo, area director Central & South America do STR, no II Fórum Nacional de Hotelaria, ocorrido mês passado

A demanda hoteleira registrou crescimento no mundo inteiro, com destaque para o Oriente Médio (+8,3%), América do Sul (+3,5%) e África (+3,5%). Em relação ao RevPar, praças relevantes como Londres (+5%), Cidade do Cabo (+2,5%), Tóquio (+2,9%) e Paris (+1,2%) também elevaram suas performances, ao passo que Nova York (-3,8%), Miami (-2,4%), Hong Kong (2,2%) , Sydney (-4,9%) e Dubai (-14,7%) tiveram redução no indicador. Vale citar o desempenho do Rio de Janeiro (+28,4%), mas o resultado merece ser analisado mais a fundo, visto a brutal queda na diária média da cidade após a Copa do Mundo (veja abaixo).

str- revpar

STR: diária média

Mesmo com as quedas nos indicadores mencionados, Nova York segue líder global em RevPar (US$ 197,35) e diária média (US$ 236). Já entre as principais cidades brasileiras, Rio de Janeiro e São Paulo apresentam números absolutos bem abaixo dos principais destinos mundiais: US$ 104 e US$ 102, respectivamente. Ainda assim, é importante mencionar a performance da capital paulista, que historicamente sempre teve dados menores do que o Rio – hoje o gap é quase inexistente.

Outro aspecto apontado pelo estudo foi a representatividade de hotéis lifestyle sobre a diária média. Em 2018, esses empreendimentos elevaram o indicador a US$ 250, enquanto marcas mais tradicionais registraram até US$ 200 em igual período.

(*) Crédito da capa: Keem Ibarra/Unspash

(**) Crédito do infográfico: Divulgação/STR

Comentários