Três perguntas para: Mônica Paixão

Mônica PaixãoNo ano passado, a profissional completou 30 anos de carreira

Ícone da hotelaria carioca e diretora geral do Le Canton Resort, Mônica Paixão é referência quando se trata da atuação feminina em lideranças do segmento. Com 30 anos de carreira e uma trajetória de conquistas, a profissional consolidou equipes por onde passou e ostenta expertise em administração de empreendimentos de diferentes categorias e perfis.

Graduada em Economia pela Ucam (Universidade Cândido Mendes) e em Relações Públicas na UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro), Mônica iniciou seu caminho no mercado hoteleiro no Le Méridien Copacabana, hoje Hilton Rio de Janeiro Copacabana. Após galgar cargos na área de Vendas e atingir postos de gerência, passou 13 anos na marca que hoje faz parte do portfólio da Marriott.

Em busca de novos desafios, teve sua primeira experiência como gerente geral no Golden Tulip Ipanema Plaza, onde ajudou a fazer a implantação. Na época, se tornou a primeira mulher a ocupar o cargo na hotelaria carioca.

A diretora ainda acumula passagens no Hotel Santa Teresa, hoje unidade pertencente ao portfólio de luxo da Accor. Em 2015, saiu da capital e assumiu a direção do Le Canton, em Teresópolis.

Três perguntas para: Mônica Paixão

Hotelier News:  Com quantos e quais cenários vocês estão trabalhando para quando o mercado retomar?

Mônica Paixão: O Le Canton está trabalhando no momento com 9 cenários, para estudarmos todas as possibilidades de mercado quando retomarmos. Desses 9, nós utilizamos 3 com diferentes faturamentos, 3 diferentes custos de despesas e as combinações entre eles. Nós levamos em consideração cenários otimistas, intermediários e pessimistas.

HN:  Quando isso acontecer (a retomada), o que será fundamental nos primeiros meses de operação? 

MP: Estamos muito preocupados com a segurança e saúde dos nossos hóspedes e colaboradores, então o mais importante será garantir a proteção deles em relação a esse tema. Dessa forma, nós iremos focar em uma higienização rígida de todas as áreas e promover atividades ao ar livre, evitando confraternização de pessoas em locais fechados.

HN: Na China, resorts com forte demanda regional foram os primeiros a recuperarem os níveis de demanda. Você está tão otimista assim?

MP: Sim, estamos muito confiantes, uma vez que as pessoas vão evitar viagens que enfrentem aeroportos/ aviões e o Le Canton por ser um resort próximo ao Rio de janeiro, possibilita a ida de carro, trazendo mais segurança aos nossos clientes. Além disso, iremos promover bastante entretenimento ao ar livre, colocando a segurança da saúde dos clientes e nossos colaboradores em primeiro lugar.

(*) Crédito da foto: divulgação/Arteiras

 

Comentários