Villa Rossa: Diretrizes sustentáveis no interior de SP

Villa RossaO ponto de lazer mais procurado do hotel: a piscina externa (fotos: Filip Calixto)

Funcionando há 20 anos e localizado na estância turística de São Roque, a altura do km 50 e tantos da rodovia Raposo Tavares, o hotel Villa Rossa une a comodidade de um hotel de interior às atrações de um meio de hospedagem voltado para o lazer. Além disso, o hotel, situado no interior do Estado, foca suas atenções no bom atendimento, na melhoria dos serviços e em projetos de reestrutura para ampliar seu público. A área total do empreendimento compreende 350 mil m² de área verde, dentro da Mata Atlântica. A unidade hoteleira tem como um de seus pilares o compromisso com o desenvolvimento sustentável e atravessa um processo de modificações com a reestruturação de parte de seus apartamentos. Para conhecer os ambientes, as dependências e a cultura hoteleira do Villa Rossa, a reportagem do Hôtelier News se hospedou no lugar e entendeu de perto o que é este meio de hospedagem paulista. Por Filip Calixto*

Villa RossaUm dos apartamentos do hotel já reformado

Ao todo, o empreendimento conta 85 apartamentos e 18 lofts - dormitórios que têm a estrutura completa de uma residência -, que, há cerca de um ano, estão passando por um processo de repaginação. As modificações seguem aos poucos. A ideia é que a ocupação e a reserva de apartamentos não seja afetada pela mudança. Para tanto, dois quartos estão sendo reformados por mês, em horários alternativos e em dias de pouco fluxo de clientes. "Trabalhamos de forma casada com o departamento Comercial e não podemos bloquear um quarto enquanto ele está sendo utilizado e reservado normalmente", revela Patrícia O'Reilly, diretora do meio de hospedagem. Ela ainda explica que toda a reforma foi guiada pela diretriz da sustentabilidade. Para realizar as mudanças, vernizes e tintas especiais foram utilizadas com o objetivo de gerar menor impacto ambiental. Até o momento, cerca de 18 aposentos já foram atualizados.

Villa RossaPara o café da manha existe um restaurante exclusivo

A&B Para o café da manhã, o hotel conta com um restaurante específico capaz de abrigar até 180 pessoas. Já tendo funcionado como restaurante principal, o Giardino hoje é onde o hóspede faz apenas sua primeira refeição do dia.

Villa RossaNo restaurante principal pratos à la carte e do sistema bufê tem espaço

O segmento de Alimentos e Bebidas tem uma atenção muito especial e é um dos trunfos do Villa Rossa, recebendo hóspedes, clientes day-use e passantes. O principal espaço para refeições é o restaurante La Piazza, que conta com 275 lugares e serve refeições nos sistemas à la carte e bufê. Frequentemente, ele abriga festivais gastronômicos e eventos do tipo. Seu cardápio conta com especiaria e pratos servidos de acordo com o dia, além de ter as opções gerais que permanecem no menu fixo. O bar completa as opções e atende clientes em momentos de distração e lazer.  

Villa RossaA entrada do empreendimento paulista

Com uma equipe de 150 colaboradores fixos e em ocasiões especiais alguns esporádicos, o empreendimento atende hóspedes tanto do público corporativo como também os de lazer . Todos os serviços disponíveis são prestados pelo próprio corpo de funcionários do lugar. Exemplos disto são a padaria e a lavanderia da unidade, que funcionam no próprio prédio. Operando para atender clientes de sistema day-user e também para hóspedes, a equipe de colaboradores passa por constantes treinamentos - internos e externos. “Na hotelaria nada funciona separado. Tudo é integrado. A união entre departamentos e a comunicação são aspectos indispensáveis para que um objetivo seja alcançado. Aqui fazemos questão de que nosso funcionário saiba como são a visão e a postura da empresa para com o mercado", comenta a gerente Operacional. Sobre este processo de capacitação tão necessário, a gerente destaca que a mescla entre colaboradores experientes e com bagagem no mercado e trabalhadores novos, que tenham visões diferentes e inovadoras, pode ser a fórmula para que a equipe de um hotel permaneça motivada em seu cotidiano. Outro item citado é que semestralmente existe um pagamento de participação nos resultados e lucros para toda a equipe. “Gosto de perceber que existem pessoas com bastante tempo de casa, mas também gosto do novo. Acho que misturar o conhecimento e a experiência que pessoas mais vividas têm com a garra e vontade de trabalhadores mais jovens. É uma maneira interessante de realizar a manutenção de uma equipe”, pondera Angélica. Segundo ela, cerca de 70% do público que o Villa Rossa recebe é corporativo; os outros 30%, do segmento de lazer.

Villa RossaO restaurante Cascudo, que completa a oferta gastronômica do hotel

Projetos paralelos Com a motivação de desenvolver o entorno, tanto socialmente como em termos ambientais, a família de proprietários do Villa Rossa montou o projeto do restaurante Cascudo - que emprega jovens moradores da região e complementa a oferta gastronômica do hotel. Com capacidade para atender até 80 pessoas, o local evoca a cultura brasileira em sua decoração, em suas músicas ambiente e tem opções pautadas em pratos nacionais. No mesmo complexo funciona um projeto social que capacita os jovens em atividades culturais e em iniciações esportivas. Outro programa desenvolvido pelo grupo é o plano imobiliário Vila da Mata Golf Residencial, que vende loteamentos residenciais. Serviço villarossa.com.br *O jornalista do Hôtelier News hospedou-se no Villa Rossa a convite do empreendimento

Comentários